Na manhã desta quarta-feira (24), Rafael Ilha conversou com Bruno Di Simone no canal de YouTube e resolveu comentar sobre a morte de Gugu Liberato. 

De acordo com o ex-integrante da banda Polegar, a informação de que o apresentador teria sofrido um acidente ao cair do telhado enquanto arrumava o ar condicionado é falsa - e apenas alguns artistas próximos da família saberiam o que realmente aconteceu.

"Gugu não trocava a pilha nem do microfone. Ele não sabia. Quanto mais mexer num sistema de condicionamento de ar. Com certeza tem algo além. Pode ter sido uma fatalidade, independente da situação. Mas falar que o cara subiu? Não foi. Ali foi uma situação passional que houve. Independente da situação, que eu sei qual foi, foi uma fatalidade."

Rafael garante ainda que as únicas pessoas que podem falar com propriedade sobre a verdadeira causa da morte do apresentador seriam seu filho, João Augusto, e a então companheira Rose Miriam Di Matteo, já que os dois teriam presenciado a situação.

Apesar disso, Ilha afirma que João não tem coragem de falar sobre o assunto, enquanto acredita que Rose só viria a revelar a verdade caso se estresse com a briga judicial pela herança de Gugu:

"O mundo artístico sabe. Eu fui um dos primeiros caras a saber o que aconteceu mesmo. Conheço algumas pessoas da família dele. Uma hora a justiça chega."

Outro assunto envolvendo a famosa personalidade foi o suposto relacionamento de Gugu com Thiago Salvático. Diante do tema, Rafael afirmou que a bissexualidade do apresentador era conhecida não apenas por sua família, mas também pela mídia - e ainda se mostrou incomodado com o fato de a informação estar sendo negada após a morte de Liberato.

"Todo mundo sabia do caso dele com o Thiago Salvático. A família dele sabia. Todo mundo sabia que o Gugu era bissexual enquanto era vivo. Todo mundo sabia. Mas ninguém nunca soltou uma notinha dizendo que ele estava em não sei aonde com não sei quem. É falta de respeito falar disso agora que ele morreu?".

Envolvimento com drogas

Já sobre sua vida pessoal, Rafael relembrou o período em que começou a usar drogas e, depois, se entregou ao vício. O artista afirma que tudo começou quando a banda Polegar estava no meio da carreira, entre seus 12 e 15 anos, e entrega que começou usando substâncias mais leves até que se viciou em drogas mais pesadas.

"Chegou uma hora em que a minha mãe me botou pra fora de casa e eu virei nóia de rua. Virei morador de rua mesmo. Literalmente. Morei oito meses embaixo do viaduto. Estava começando a cracolândia ainda. Tive infância, carinho e educação. Entrei nessa porque eu quis. Entrei por curiosidade."

Depois disso, Ilha chegou a se internar em clínicas de reabilitação mais de uma vez, chegando a passar quase dois anos internado em uma dessas ocasiões. Apesar dessas recaídas, hoje o artista afirma estar limpo há 21 anos, e relembra que só conseguiu retomar sua carreira graças a ajuda de Sônia Abrão:

"Eu perdi todo mundo. Até a minha dignidade. Graças a Deus e à minha força de vontade, eu consegui sair das drogas. Dez anos depois da minha recuperação eu tive a minha primeira oportunidade na TV com a Sônia Abrão, como repórter do A Tarde é Sua."


Fonte: Folha Vitória

Deixe seu Comentário